Polícia confirma que homem assassinado no Pedregal era inocente

17
0
COMPARTILHAR

É assim que a Delegacia de Homicídios define a morte de Jadilson Lima Silva que tinha 35 anos de idade, assassinado no Bairro Pedregal.
Um dos suspeitos foi preso em flagrante pela polícia civil no sábado (27/01).

Jadilson foi baleado na quinta-feira (25/01) e morreu no Hospital de Trauma na tarde da sexta-feira (26)

Ele era conhecido como “buiu”, mesmo apelido de um homem (Josinaldo da Costa Lima) que matou o avô no Bairro Santa Rosa.

Daí surgiu toda situação que resultou na execução de Jadilson no Pedregal.

A ordem saiu de um dos presídios.

Mataram uma pessoa inocente.

Quer dizer: o “buiu” do Pedregal nada tinha a ver com o caso em Santa Rosa.

Ainda na sexta uma equipe da Delegacia de Homicídios tentou prender os assassinos.

Numa residência os investigadores apreenderam drogas e objetos.

O suspeito preso no sábado foi identificado como Gustavo dos Santos, de 27 anos.

Localizamos de início, na sexta-feira, um imóvel com droga e aparelhos eletrônicos (de traficantes relacionados a esse crime). No sábado, em continuidade a essa diligência, conseguimos prender em flagrante um suspeito da prática do crime. Ele foi autuado em flagrante (já passou por Audiência de Custódia e foi encaminhado ao Presídio do Serrotão)”, afirmou o delegado Ramirez São Pedro.

Ele também disse que “o outro autor já foi identificado (foram dois autores, os dois estavam armados, os dois atiraram na vítima). As diligências continuam para localizar esse segundo suspeito”.

MORTE POR ENGANO

Ramirez informou que “lamentavelmente o Jadilson foi morto por engano. No dia 20 desses mês um homem assassinou o avô no Bairro Santa Rosa e ele tem o mesmo apelido dessa vítima do Pedregal. Ou seja: os traficantes deram o ‘decreto de morte’ os executores, por engano, assassinaram a pessoa errada”.

Os homicídios ocorridos este ano em Campina já foram todos elucidados com todos os autores presos.

O Instituto Sou da Paz, de São Paulo, aponta a Polícia Civil paraibana como a que mais elucida crimes de homicídio em toda a região Nordeste e Campina Grande é referência nacional.

Estamos mostrando que não compensa cometer estes crimes em Campina”, resumiu Ramirez.

Fonte: www.renatodiniz.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui